Despertando o autodidata que existe em você

Uma das características a qual mais tenho apreço é o autodidatismo. Inclusive, ela é a tendência em aprendizado para o futuro (e, por isso, uma boa estratégia para se ficar íntimo desde já).

Aprender coisas por conta própria é uma prática que, de uns anos para cá, ganhou espaço e tempo na minha vida. Com ela, tenho desbravado áreas com as quais sempre flertei, fosse por gosto pessoal ou necessidade profissional, mas não tinha coragem, tempo ou grana para me dedicar.

Creio que a busca pelo aprendizado autodidata, pelo menos no meu caso, tenha a ver um pouco com a vontade (pode chamar de utopia também, fique à vontade) de ser independente e de ver as coisas acontecerem, fazer “apesar de” e em prol da concretização de alguma coisa ou uma realização.

Por conta desse “fazer apesar de”, tenho buscado sempre uma empreitada para chamar de minha: uma nova pesquisa, um curso virtual, uma série de vídeos tutoriais no YouTube, cronogramas de estudos, que faço por contra própria sobre temas específicos, entre outras (com as quais também me divirto muito, é preciso admitir).

A imagem que ilustra este texto, por exemplo, é da minha última empreitada. Sempre tive vontade de costurar. Minhas duas avós costuravam, e uma delas usou essa atividade para complementar a renda da família. A minha relação com a costura é muito afetiva. Um dia, tomei coragem, comprei essa belezinha em longas parcelas e fui pesquisar como começar a operar esse pesado e enigmático maquinário.

Pilotar essa máquina é mais difícil do que muita coisa que já fiz na vida. Mas com os tutoriais de internet, já sou a feliz proprietária de vários fundilhos costurados, seis panos de pratos começados e ainda inacabados e pequeninos consertos (tortos, com acabamento porquinho, mas completamente funcionais). Na foto, estou dando um conserto na alça de um top.

Pensando nos benefícios da pesquisa autodidata, listei alguns motivos e dicas para a gente cultivar o hábito de desbravar novos conhecimentos por conta própria. Espero que, dividindo um pouquinho da minha experiência contigo, você possa ir atrás dessa coisa aí que está formigando dentro de você, que você quer aprender, mas ainda não começou!

– Você vai ser uma pessoa mais feliz e completa se, em vez de procrastinar, realizar o desejo de saber algo que sempre sonhou dominar.

– Nós temos pulsão por conhecimento, por descobrir e realizar. É que, às vezes, a gente se acomoda, a vida engole. Então, não se esqueça: o que você precisa já está em você.

– Você só precisa começar! Pode ser uma ideia maluca, algo que você vê como apenas um sonho, mas comece a pesquisar sobre HOJE de noite. As chances de você engrenar depois em algo presencial e concretizar esse sonho de saber determinada coisa é bem maior do que se você ficar esperando uma oportunidade ou momento ideal para se matricular num curso.

– Pesquisar por conta própria é ótimo para quem é tímido ou tem vergonha de se inscrever em uma aula cuja afinidade com o tema é, ainda, pequena. Você começa, quebra o gelo e se sente seguro para ir em busca de mais conhecimento entre pares.

– Você vai saber se é disso mesmo que você gosta. Pesquisar por conta própria também nos ajuda a perceber se a gente gosta mesmo do que está aprendendo ou se nutre uma ideia diferente do que aquela coisa realmente é e fica livre para deixar de lado esse “pseudo desejo” em busca de outros prazeres que nos completem.

– Hoje, não faltam cursos online e eles são os melhores amigos dos autodidatas, principalmente porque a maioria permite não só caminhar no próprio ritmo, como focar naquilo que você realmente precisa aprender e deixar de lado algo que você já sabe ou tem menos interesse.

– Ora, é melhor feito do que perfeito! Coloque a mão na massa e deixe de lado OS PRÓPRIOS julgamentos, sem medo ou vergonha. Não deixe o EU GRANDE CRÍTICO minar o seu desejo de saber algo, de se sair bem em algo.

Ah, e uma dica de ouro:

– Tenha cadernos para anotar tópicos importantes dos seus aprendizados ou coisas úteis e que você possa consultar rapidamente ou lançar mão quando colocar em prática a sua nova habilidade. Assim, sem perder o principal, mantenho informações estratégicas à mão, você solidifica o seu conhecimento ao longo do tempo e da prática.